Diferença entre CARNE DE SOL, CHARQUE E CARNE SECA.

Salgar a carne para conservar é um dos métodos mais primitivos existentes, como antigamente não existia a refrigeração as pessoas descobriram que o sal eram um excelente conservante, passando a salgar a suas carnes preferencialmente bovinas para que as mesmas pudessem durar por mais tempo.

Hoje no Brasil as carnes salgadas típicas podem ser resumidas em carne-de-sol , charque, carne seca, a diferença reside basicamente na técnica de preparo e agora iremos aprender como diferenciá- las;


CARNE DE SOL: Típica do nordeste brasileiro, a carne-de-sol, denominada também de carne-de-sertão, carne-do-ceará, carne serenada, carne-de-viagem, carne-mole, carne-do-vento,  é um método de conservar alimentos de origem animal, salgando e secando ao sol peças de carne, em geral bovinas. É, normalmente, confundido com carne seca, mas apesar de possuírem processos parecidos há uma grande diferença no sabor. A carne-de-sol é ligeiramente salgada e depois colocada para secar em local coberto e ventilado. O processo de secagem é rápido e o interior da carne fica úmido e macio. Muito utilizada desfiada, refogada, em escondidinhos e etc;

Mais úmida por dentro

Mais úmida por dentro

Carne de Sol desfiada, servida com purê de mandioca

Carne de Sol desfiada, servida com purê de mandioca

CHARQUE: Outro processo de desidratação bem conhecido é o charque, típico da região sul do Brasil. O processo é bem parecido com o da carne seca, porém o seu  diferencial e a textura que fica mais seca e a quantidade de sal utilizada, pois ela é mais salgada. Muito utilizada na feijoada, aqueles cubos de carne bem vermelha que desfia facilmente.

Possui mais gordura, porém mt mais salgada

Possui mais gordura, porém mt mais salgada

Pedaços de carne vermelha que desfia facilmente

Pedaços de carne vermelha que desfia facilmente

CARNE SECA: Já a carne seca leva mais sal e é empilhada em locais secos para sua desidratação. Após a secagem da carne ela é estendida em varal ao sol para completar sua desidratação. A carne seca é bem mais salgada se comparada com a carne-de-sol. Muito utilizada em fatias fritas, servida com mandioca.

Bem salgada, porém mais macia que a de Charque

Bem salgada, porém mais macia que a de Charque

Cubos de carne Seca, servida com Mandioca frita.

Cubos de carne Seca, servida com Mandioca frita.

Depois de classificar as diferenças entre cada uma, precisamos saber como DESSALGAR estas carne, pois como sabem esses 03 tipos de carnes não podemos prepará-las imediatamente, requer um preparo, ou seja, precisamos retirar o sal em excesso.

Para esses 03 tipos o procedimento é o mesmo;

MODO COMUM: 

– Deixe de molho um dia antes de preparar e vá trocando a água de 6 em 6 horas.

MODO DE URGÊNCIA:

– Corte  a carne em pedaços médios e ferva durante 5 minutos por duas vezes, experimente e veja se o sal está bom, caso necessite repita a operação por mais 01 vez.

OBS: Tome cuidado com a quantidade de sal que você usará na receita, pois apesar de já ter dessalgado a carne ela ainda pode liberar um pouco de sal no momento do preparo.

Espero que tenham gostado destas dicas!

Começou 2013!! Festival Cultural Gastronômico: CACHAÇA GOURMET

Depois de alguns meses sem novidades no Blog Prazer na Gastronomia..eis que volto á todo vapor!

O ano começou e com ele várias novidades e muita animação!

E começamos o ano em BH com um mega festival gastronômico, o CACHAÇA GOURMET!

 

festival

 

 

 

De 3 de janeiro a 3 de fevereiro, Belo Horizonte será palco do Festival Cachaça Gourmet, com 36 restaurantes e 36 cachaças participantes em toda a cidade.

Cada restaurante oferecerá um prato exclusivo da culinária mineira, tendo a cachaça como um dos ingredientes. A melhor criação será eleita pelo público e por um júri especializado, que votará nos quesitos: sabor e harmonização, apresentação e criatividade e originalidade.

O objetivo do Festival é difundir a cachaça como um ingrediente que pode dar sabor especial aos pratos, além de exaltar a importância dessa bebida genuinamente brasileira, e fomentar o mercado.

Segundo Miriam Cerutti, idealizadora do evento, ano passado 22 restaurantes participaram e esse ano já são 36: “O objetivo é que o projeto se expanda para o interior e também para outros estados, alcançando todo o Brasil”.

O Cachaça Gourmet conta com patrocínio da Krug Bier, e com apoio da Ampaq, do Clube Mineiro da Cachaça, da Agência Libertas, do BHC&VB, do SINDHORB, do Cachaça Express, do Chef a Chef, do BH Eventos, do Turismo de Minas e da Primeiro Plano Comunicação.

Veja mais detalhes dos restaurantes participantes no site do evento:

http://festivalcachacagourmet.com.br

 

Espero encontrar com você em um dos restaurantes!rsrs